× fechar ? ajuda √ gravar  fim da linha:Unix LFDos CR/LF Editor de texto: /thompson.org.br/index_arquivos/Page496.htm Diabetes

Contato

(0xx11)

(0xx19)

Junte-se na Rede

Diabetes

O Diabetes é uma doença que está 10x mais frequente, atingindo crianças e adultos,obstruindo a circulação, provocando insuficiência Renal Crônica, Infartos e Derrames. A dieta ainda é um dos principais fatores de risco

Dicas de Sáude!

          No Brasil, estima-se que existam mais de 10 milhões de diabéticos, sendo que pelo menos metade dessas pessoas desconhecem que são diabéticos. O problema não é apenas o aumento do açúcar no sangue, seus efeitos colaterais são muito mais graves.

         Trinta por cento dos diabéticos terão falência dos rins, uma das principais causas que levam as pessoas para a hemodiálise, o resto de suas vidas.

         Oitenta por cento dos diabéticos vão morrer de doenças de obstrução das artérias: no cérebro provocando os derrames (AVC), no coração provocando infartos, ou desenvolvendo doenças vasculares periféricas, até com amputação das pernas.

           Existem dois tipos de Diabetes:

Tipo 1:

           A DM1 surge quando o organismo deixa de produzir insulina (ou produz apenas uma quantidade muito pequena.) Quando isso acontece, é preciso tomar insulina para viver e se manter saudável. As pessoas precisam de injeções diárias de insulina para regularizar o metabolismo do açúcar. Pois, sem insulina, a glicose não consegue chegar até às células, que precisam dela para queimar e transformá-la em energia. As altas taxas de glicose acumulada no sangue, com o passar do tempo, podem afetar os olhos, rins, nervos ou coração.

Tipo 2:

           Sabe-se que o diabetes do tipo 2 possui um fator hereditário maior do que no tipo 1. Além disso, há uma grande relação com a obesidade e o sedentarismo. Estima-se que 60% a 90% dos portadores da doença sejam obesos. A incidência é maior após os 40 anos.

           Uma de suas peculiaridades é a contínua produção de insulina pelo pâncreas. O problema está na incapacidade de absorção das células musculares e adiposas. Por muitas razões, suas células não conseguem metabolizar a glicose suficiente da corrente sangüínea. Esta é uma anomalia chamada de "resistência Insulínica".

           O diabetes tipo 2 é cerca de 8 a 10 vezes mais comum que o tipo 1 e pode responder ao tratamento com dieta e exercício físico. Outras vezes vai necessitar de medicamentos orais e, por fim, a combinação destes com a insulina.